fbpx
 
De advogada para escritora: as mudanças provocadas pela pandemia na vida de Keilla Barreto

Tempo de leitura: 3 minutos

De advogada para escritora: as mudanças provocadas pela pandemia na vida de Keilla Barreto

Em entrevista inédita, escritora Keilla Barreto conta como o isolamento social despertou nela a necessidade de escrever um romance

 

“Eu e A Vida”, música do cantor e compositor Jorge Vercillo, é a grande inspiração do romance de estreia da brasiliense Keilla Barreto. Apesar de a vida amorosa da protagonista ser pauta no enredo proposto em Entre Decadência e Elegância, a história não se prende ao clichê e se aprofunda nas nuances da vida real.

A advogada sentiu a necessidade de se expressar em um momento de espera e muita dor diante a pandemia. Apesar da ficção, a obra homenageia famílias e pessoas próximas à escritora: são estes detalhes que Keilla abre na entrevista abaixo. Confira:  

 

1. Por que você decidiu entre tantos gêneros escrever este? Teve algum escritor ou escritora como inspiração?

 

Keilla Barreto: Romance é o meu gênero preferido como leitora. Gosto de histórias que falam sobre relacionamentos, amores imperfeitos e personagens falhos. Toda história de amor que se aproxima da realidade me agrada. Eu sou apaixonada pela escrita da Jojo Moyes. O seu jeito de cativar por meio de palavras foi, sem dúvida, uma fonte de inspiração.

 

2. Quando e como surgiu sua paixão pela escrita?

 

Keilla Barreto: Sempre gostei de escrever, e o meu trabalho como analista judiciário me permite escrever todos os dias, mas nunca planejei escrever um livro. O isolamento social trazido pela pandemia fez nascer em mim a vontade repentina de escrever um romance, muito provavelmente pela necessidade de mergulhar num universo diferente daquele onde se via centenas de pessoas perderem a vida, a sua fonte de sustento ou ter a liberdade restringida em razão de um vírus.

 

3. A música de Jorge Vercillo inspirou a produção da obra. Como foi esse processo?

 

Keilla Barreto: Ouvir música faz parte da minha rotina. Faço isso trabalhando, estudando ou por lazer. As músicas do Jorge Vercillo são poéticas e costumam me proporcionar boas viagens mentais. Quando a história estava se formando na minha cabeça eu a liguei imediatamente à letra de “Eu e a vida”. Escutei várias vezes enquanto escrevia. Os altos e baixos da vida da Melissa tinham tudo a ver com o que diz a canção. Depois de concluído o texto, o nome “Entre Decadência e Elegância” se encaixou perfeitamente.

 

4. Qual é a principal mensagem que a obra traz aos leitores?

 

Keilla Barreto: O ponto central da obra é a evolução da protagonista. Romance é gostoso, aquece o coração e faz as pessoas entrarem num mundo paralelo, mas o desenvolvimento da vida real não é linear e nem sempre é romântico. Por vezes ele é tortuoso e exige de nós forças que não dispomos de imediato, nos fazendo repensar e buscar novos caminhos para a superação.

 

5. Algum personagem do livro foi inspirado em sua vivência?

 

Keilla Barreto: Sim. A criação dos personagens Augusto e Ana Luiza, pais da protagonista, foi inspirada nos pais de uma amiga. Eles faleceram em decorrência da Covid-19. Inclusive, parte dos relatos de dor e angústia vividos pela Melissa foram extraídos do sofrimento vivido por essa amiga que desempenhou simultaneamente o papel de filha e profissional de saúde na luta pela vida dos pais. O personagem Daniel, irmão da protagonista, também é inspirado em alguém que fez parte da minha vida, um primo muito querido que faleceu há pouco tempo, vítima de um infarto.

 

6. Você já esteve em Paris? Por que escolheu o país para ambientar parte do enredo?

 

Keilla Barreto: Ainda não, mas tenho planos de conhecer no próximo ano. A escolha se deu em razão da magia que envolve a cidade. Paris é sinônimo de romance e tem cara de cenário de filme, o que, aliado às músicas escolhidas, torna a presença da protagonista na cidade mais empolgante e o envolvimento dos personagens muito mais encantador.

 

7. Além desse lançamento, você pretende publicar outros livros ou uma continuação para a história?

 

Keilla Barreto: Muitos que leram o livro relataram que ficaram com o gostinho de quero mais. Confesso que comecei a sentir saudades dos personagens da trama logo que eu finalizei a escrita, mas ainda não sei se haverá uma continuidade. Quanto a outros livros, decidi não pensar muito nisso e curtir tudo que “Entre Decadência e Elegância” tem me proporcionado.

 

 

Sobre a autora: Keilla Barreto tem 36 anos. Formou-se em Direito em 2007, advogou em causas cíveis e de família até ser aprovada no primeito concurso público em 2015. Atualmente é Analista Judiciário do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios. É casada, tem um filho de dois anos e é apaixonada por cachorros, música, livros e filmes de romance. Entre Decadência e Elegância é a sua obra de estreia.

 

Para acessar o release do livro “Entre Decadência e Elegância” clique aqui!

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *